quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Lançamento de Livro | Logos, Jardim da Penha

Queridos companheiros
Gostaríamos de convidá-los para o lançamento do nosso livro, Trabalho e saúde do professor - cartografias no percurso, organizado pelas professoras Ana Heckert, Lilian Margoto e Beth Barros.
Data: 19 de agosto
Horário: 18 horas
Local: Logos, Shopping Jardins, Jardim da Penha.
Até lá!
Bjs
Beth Barros

2 comentários:

Janayna Araújo disse...

Parabéns aos participantes deste livro!
abrs,
Janayna Araújo

JuanP disse...

Imagens fotográficas parecem ou mostram um lapso da duração ... do tempo. E quão lindos – deveras - são todos ali congelados para sempre naquele fotograma ( ou paleta-de-pixels – digital image – caso se queira ).

Mas prá que isso pudesse acontecer, devenir, alguém teve que atar, unir, enlaçar.

Um Laço. Supomos - nem mais nem menos - saber o que isso seja. Mas prá que ele (o laço) aconteça como (no mínimo) sociabilidade amistosa - amorosa - é necessário alguém atar uma ponta as outras. Ou vice versa. No fotograma (no centro da composição) existe o responsável por isso. Muito antigamente, outrora, dizia-se que essa era tarefa de Eros...(*) .

Haviam Livros, claro, e escritas autografas. Ainda hoje hesito em dizer que o escrito autografado faz banir a imagem fixando um nome - mesmo um conjunto de nomes. Todavia um certo regozijo há e habita essa abundância vertiginosa, prodigiosa das imagens. Coisas do hábito, penso. Quer se queira ou não a residência-fixa das imagens é bem lá no imaginário. Repositório que pode causar, suscitar este e aquele afeto, tal qual Las Meninas – no quadro de Diego.

Resumo da Opera, opus 1: é a elas quem devemos celebrar. Como poderia ser de outro modo acaso elas sejam uma minoria majoritária? (**)
Posto e dado que o Livro continua um efeito. Dado a clausula: isso que cava um sulco na língua-pátria e mátria como língua estrangeira arrastando a letra de uma ponta a outra do infinito – como o quer nosso mais dileto filósofo, o amigo de sofia. [Do bendito Houaiss: it. dilettante (a1535) 'que ama, que dá prazer, (1681) que cultiva uma arte, uma ciência ou dedica-se (...) por prazer, sem fins lucrativos, (1759), (....) part.pres. de dilettare 'dar prazer', do lat. delectáre 'atrair, afagar, deleitar, encantar, recrear'; ver laç-; f.hist. 1873 dilettante; a datação é para o adj.]

Insistimos de tal sorte com Spinoza que - com efeito - imagem fotográfica talvez devesse de ser o lugar do bom encontro. De fora para dentro.
Digo-o assim nestes termos incertos porque de fato ele aconteceu (o encontro, leia-se). Mas qual acontecimento - me perguntei.

Engraçado que a gente aspira, tanto por ela e por isso ... é um trabalho digno de Sísifo, mas não se iluda com a fonética desse nome, cara.

Att.: []' & b'
Juan

(*) que fique óbvio que Eros causa efeitos bem naturais muito aderidos a natureza; seriam as meninas e seus muito amáveis rebentos...
(**) nosso mais puro doce deleite. Para todos, incluídos.